Banner

Banner

Total de visualizações de página

6 de outubro de 2013

Mãe dos meus Dias

Angelina e Anelize

Talvez possamos olhar junto o arpoador
Ascender uma fogueira no topo das montanhas
Aquecer os nossos corações, abrasar nossa pele
Ascender um mato, decolar os pensamentos
Repousar no raso do mar
Talvez possamos fugir do controle da racionalidade
E da normalidade banal
Não fogem as mariposas e gafanhotos?
A madrugada anuncia uma noite gelada
Vou me deitar com você para te protegê-la
Para te fazer mãe...
Vamos ler um livro e contar uma história
Algo que nos dê um motivo para sonhar
Vamos acordar e ver o por do sol
Envolver-nos com a nossa ideologia
Vamos nos surpreender em nossa trilha
Um lobo predador rodeia a nossa tenda
Rouba os nossos pertences
Estamos nus e sentimos que nada perdemos
Eu tenho você, e você tem algo que ninguém pode tirar de você
Depois de um café no espiro da fogueira
A tarde vem e nos convida a voltar
Traremos uma bagagem de filosofia e simplicidade
Dos carinhos que trocamos e da nossa amizade
Hoje amanheceu um dia cinza
Eu sonhei que podia ser verdade
Se você aceitar ser a mãe dos meus dias.


Marcelo Zacarelli
São Paulo, Janeiro de 2011 no dia 11