Banner

Banner

Total de visualizações de página

12 de fevereiro de 2013

As Lágrimas do Sol

Fernanda Villarim

Há tempos caminhamos pela escuridão
Nossas faces escameadas pela ignorância
Ensandecidas, suam ao golpe do tempo...
Você acredita o tanto quanto eu,
Pois somos guiados pelo coração
Traídos pelo sangue dos antepassados;

As lágrimas do sol
Não se esgotarão até que a noite vire o dia.


Até aonde poderemos chegar?
Há um rebanho de envaidecidos
Eles acreditam na luz através da escuridão;
A cada golpe de navalha da própria consciência
Eles cortam a carne a sangue frio
E a venda segue tapando as pupilas;

Você pode escolher o mistério através dos meus olhos
Os abutres rodeiam a carne abaixo do céu...
Eles não vão parar até que caiam as lágrimas do sol;

As lágrimas do sol
Não se esgotarão até que a noite vire o dia.

Lamas de sangue terão que atravessar
Irmãos indefesos como aves abatidas
Matar ou morrer a guerra fria nos ensina;
O futuro estará comprometido
O sol dará a sua face negra
Eles não descansarão até que a noite vire o dia.


Pelo autor Marcelo Henrique Zacarelli
Village, Fevereiro de 2013 no dia 08.