Banner

Banner

Total de visualizações de página

30 de agosto de 2008

SANGUE VERMELHO



Na senzala , meu corpo
Negro imaculado , execrado
Violentado pelo medo exagerado
Pelo sangue derramado .

Padece sem culpa
Pela cor escolhida por Deus
Pela vaidade de capatazes ateu
Dona Isabel um pouco tarde apareceu .

Meu sangue também é vermelho
Assim parecido com o teu
O mesmo que Jesus derramou na cruz
Quando por ti e por mim padeceu .

No cativeiro irracional
A morte velava o negrume
A noite era testemunha do açoite
De negros amordaçados e imunes .

Naquele ano em 13 de maio
Expirou-se a escravidão
Não se sabe até hoje a verdade
Se das mãos de uma mulher
Nasceu a tão sonhada liberdade .

Escrito por zacarelli 27/agosto/2002

Itaquaquecetuba ( sp )