Banner

Banner

Total de visualizações de página

2 de dezembro de 2012

Cais da Saudade

No cais da saudade mora a solidão
Ora barco a vela; Ora meu coração...
Navega nos braços do infinito
Descansa no porto da imaginação;

Na calmaria das dores suporta o meu gemido
No porto aflito, minha oração...
O canto a noite das baleias sela o meu destino
Ópera do desatino, notas da ingratidão;

No cais da saudade busquei um sorriso
Vestígio da felicidade esboçou em vão...
Amante de si mesmo se tornou narciso
Sepultado na vala de um pobre coração.


Pelo autor Marcelo Henrique Zacarelli
Village, Dezembro de 2012 no dia 01.