Banner

Banner

Total de visualizações de página

21 de junho de 2015

O quê fazer com o orgulho ferido de uma mulher?


O tempo tem sido um inimigo duro
Todas as manhãs, em forma de pensamento
Por carregar consigo um amor singular
O amor de um pai por uma filha...

Quantas noites solitárias
Eu e meu amigo travesseiro
Lutando pelo não cair de uma lágrima (inevitável)
O quê fazer com o orgulho ferido de uma mulher?

O dia amanhece em meu quarto
É quando percebo que existo
Ao olhar o meu rosto no espelho
E ver as marcas de uma noite sofrida

Me fez lembrar daquele sonho
Esboçar um sorriso escondido
Tímido, incompreendido (incompleto)
Más o quê fazer com o orgulho ferido de uma mulher?

O destino é uma estrada adiante
Que machuca os meus pés
Más eu tenho que prosseguir (tenho que seguir)
Mesmo sem saber onde ela vai dar

Não sei até onde meu coração vai aguentar
Mas eu tenho um estepe guardado (a esperança)
Quando caminho descalço em um chão gelado
Para abrir as portas e deixar entrar a luz do teu olhar

Más o tempo, sempre ele...
Um juiz severo e justo reduziu-me ao nada
Você será para mim a esperança de um no dia
Por mais que eu tente entender (eu me pergunto)
O quê fazer com o orgulho ferido de uma mulher.

Marcelo Zacarelli
Village, 18 de Junho de 2015