Banner

Banner

Total de visualizações de página

2 de dezembro de 2008

SARDOSO MANÉ



A marvada acabô sedo
Cá vida do sor Mane
Nos botequim do mundo intero
Que aquele pobre homi piso os pé...

A branquinha decia como credo
No sujeito católico de poca fé
O povo inté que tava certo
Num ia dura muito o tar de Mane...

Deixô quato fio a pobre viúva Salomé
Curpa da marvada que acabo sedo
Cá vida do sardoso Mane.

Mas deu trabaio a morte sabe como é
Parece inté que ela tinha medo
Ou se esquecido deste tar de Mané...




Escrito por Marcelo Henrique Zacarelli
Dezembro de 2008 no dia 01